Perdida por quê??





Acredito que não exista nem UMA mãe nesse mundo que não se sinta assim às vezes. Perdida e desolada em um mundo de infinitas possibilidades, responsabilidades, novidades, felicidades e muitos outros "ades". Certeza que até a Supernanny (nem sei se tem filhos) teria uma grande variedade de tropeções, quedas e avantes nas reviravoltas da maternidade.
Li em algum lugar que, ao contrário do que um monte de gente pensa, filho não vem com manual de instruções, a gente só aprende a lidar com eles com base nos nossos erros e nos erros dos outros. Tá certo que mãe que é mãe de verdade, fica um pouco perfeccionista e acaba esquecendo que o que importa no final das contas é nosso amor (que vamos reconhecer, é um amor que chega dói), e não quantos acertos fazemos no fim do gabarito.
Como já me apresentei nos meus primeiros posts (affe até nesse blog eu me perco), meu nome é Michelle, sou brasiliense, 28 anos, casada, pisciana, não tenho time de futebol, e adoro ler, assistir filmes, tomar sorvete, sair pra dançar, coisa que ultimamente não tenho feito, passear com marido e filhota e bater papo com azamigas. Me formei com 23 anos em Relações internacionais, e me casei no mesmo ano com um paulista. Nos casamos em Brasília, festejamos em São Paulo, e nos mudamos pro Paraná. Nem sei porque até hoje, só porque queríamos mesmo! Foi uma experiência muito boa, mas passamos só 2 anos por aquelas bandas frias, bateu uma saudade doida da family, e voltamos pra Brasília. Depois de um ano de volta pra cá, embarriguei de Lucy.
Hoje trabalho em horário comercial e 99,99% do meu tempo fora do serviço pertence a ela. No meu tempo livre, leia-se: de madrugada ou horário de almoço, escrevo e caço artes pela internet para fazer em casa.
Só depois desse lance de maternidade é que comecei a descobrir algumas paixões. Por isso agora mergulhei nessa idéia de blog para abrir ainda mais meus horizontes através de outras mamães, e poder dividir um pouco desse turbilhão que está acontecendo dentro de mim.
Então, prazer! Espero que possa ajudar e também ser ajudada.

Um comentário:

  1. Já tenho uma fonte de experiências para quando chegar minha vez!

    ResponderExcluir